Today I´m so blue...


Está um dia lindo mas...
Hoje estou com "tendências depressivas"
Só me apetece entrar no primeiro avião e partir sem destino...
a insularidade tem destas coisas!

10 comentários:

Abade.anacleto disse...

Não trequita, não é só a insularidade que tem dessas coisas. A planície também tem muito dessas coisas. São os chamados mistérios que tão grande papel desempenham nas iniciações esotéricas.

Zig disse...

Sabes qual foi a primeira palavra que aprendi em português?
Caaaaaaaalma!

Trequita disse...

@ abade anacleto:

É engraçado que quando estava aí em Beja nunca me senti assim.
A planície transmite-me paz, serenidade enquanto que na Madeira e ao fim de alguns anos de aqui estar a olhar o mar diariamente, o mar representa perigo e atribulação.
Quanto a iniciações esotéricas...há algum tempo que não pensava nisso mas realmente hoje até é lua cheia...

Trequita disse...

@ Zig
Calma é o que não me falta!
Isto aqui até é calmaria de mais!
É sempre a mesma coisa e não há nada de novo para fazer!
É mar de manhã, mar à tarde, mar à noite!

não ligues isto deve ser da lua cheia!

Zig disse...

Como não te conheço pessoalmente, atrevo-me a te perguntar, se a mulher na imágem és tu?
Desculpa a indelicadeza...

Trequita disse...

sim sou eu

Zig disse...

hmmmmmmmmm
Não admira que um Madeirense (suponho) se perdeu de amores por ti....

Trequita disse...

nah...............
nada de madeirenses!
:)
É um transmontano

Mãe disse...

Amiga
Obrigada pela informação dos livros, que me recomendou.
De facto eu ainda não tinha lido nada de pessoas a quem aconteceu perda igual, já falei com algumas pessoas directamente ligadas ao site a nossa ancora, ajudou um pouco. As circunstancias é que não é muito comum.
Não sei se leu os blogs, mas o meu filho pediu-me para dormir nessa noite em casa dele que partilhava com a companheira eu enganei-o, a meio da noite fui embora, não me sentia á vontade.
Depois há as 2 msgs ao telefone, onde ele me pergunta se já estou acordada?... já me disseram que seria para se despedir... nunca! Eu veria logo que algo não estava bem pois íamos de férias para o Algarve nessa tarde. Foi tudo muito estranho, logo a seguir... o telefonema da companheira para eu ir lá a casa, com as chaves de reserva porque tinha acontecido algo ao Hugo, o choro dela não era normal ao telefone, eu fui sozinha calmamente, convencida que estaria a dormir, ou que teria ido para a praia...porque tinha feito imensos planos até ao fim do ano, matriculou-se e pagou matematica do 12ºano referente a Set. Out. Nov. e Dez. Ia na semana seguinte receber o acumulado de 3 meses no desemprego, na segunda feira iria a 2 entrevistas para informatico, numa empresa ao pe de casa, pois tinha 2 cursos da Microsoft dos Estados Unidos...Nada me faria prever uma situação destas...
Entende? Não é só choque, a perda, como o saber que poderia ter impedido...sei agora que queria falar comigo e pedir-me ajuda.
É horrivel falar disto, mas eu não deixei de escrever, não deixei de investigar...ja descobri muita coisa, coisas desagradaveis que precepitaram este desfecho, mas ainda não estou completamente segura que foi suicidio...ou antes, talvez tenha havido ameaças, ou incitação, ou não sei...
Já me disseram que eu não quero aceitar...Como não quero aceitar?
Mas tenho que saber o que se passou. Se fosse pela conversa da minha familia e amigos, nunca teria sabido o que já sei...
E minha amiga desculpe estar aqui no seu cantinho a falar de mim, mas depois apague sff, a vida dele não devolve...mas tem ajudado a esquecer o choque de o ter encontrado, não devia ter sido eu,
porque ele leu a minha msg de resposta, só estaria livre as 14 horas, nessa altura já a companheira estaria em casa. Qualquer pessoa fragil emocionalmente teria entrado em panico e nunca mais teria conserto na cabeça... eu suportei tudo sozinha, deitei-me a seu lado, falei-lhe despedi-me senti-o ali, depois limpei para que ninguem sofresse só depois pedi ajuda ao meu marido...não sou muito forte, psicologicamente, mas senti que fiz tudo direitinho mecanicamente. Ainda nessa mesma noite, quando toda a gente fugiu da cena do drama, eu voltei lá a casa, mais uma vez mecanicamente, sem saber quase nada de informatica, trouxe a sua cpu toda artilhada, ninguem consegia entrar...saber a pass e a minha filha mais velha disse para o marido depois de ver o site olhares, (que já foi alterado) onde havia imensas fotos da companheira, 2 da irmãs 1 do pai, estranhou não ter sequer uma minha...Eles pensaram imediatamente que tinha que ser alguma palavra que tivesse a ver comigo...tentaram o meu nome, a minha cor, algumas coisas de que falamos nos ultimos dias...afinal a pass só tinha 3 letras...mãe!
Por tudo isto minha amiga, eu não posso parar de escrever, pois tenho muito para contar...desculpe o tempo que lhe estou a tomar.
Um grande beijo

Zig disse...

Um homem do norte, um homem forte!
Havia tempos em que gostava mais do norte que o sul, mas já me passou.
A autora do teu anterior comentário tem uma história de vida incrível. É realmente muito doloroso ter que viver uma experiência dessas.

sm

Arquivo do blogue