Fátima: mito ou realidade?


Apesar de ter sido baptisada não me considero católica praticante.
Tentei, ao longo da minha adolescência identificar-me com várias religiões e crenças, no entanto até hoje continuo apenas a admirar aspectos de várias religiões.
A fé cristã tem vários aspectos que admiro mas Fátima não é um deles...
Não quero com isto ferir credos de ninguém mas custa-me muito crer em Fátima.
Há alguns anos li um livro intitulado "Fátima" escrito por um padre português que posteriormente foi afastado da igreja católica, neste livro o autor critica com consistência o lado comercial de Fátima. Adorei o livro mas perdi-o e não me consigo lembrar do nome do autor, se alguém souber diga qualquer coisa :)

11 comentários:

Zig disse...

Também não me lembro do autor deste livro, mas uma vez quase chamei-lhe tudo num programa na RTP1, na altula com Júlia Pinheiro, sobre milagres, e em directo! Ele é muito controverso e não liga nenhuma á opinião de outras pessoas, só acredita na opinião dele. Acerca de Fátima, tenho as minhas dúvidas, mas o que existe de certeza, é a crença de milhões de pessoas, que só por si, é um milagre. Cada vez que vou á Fátima, sinto uma paz difícil de descrever. Pode não se acreditar nisso, mas alguma coisa existe, lá isso existe!

carlos arinto disse...

E existem dois livros em que o fenómeno de Fátima é explicado como de ovnilogia. Muito interessantes. Vou procurar a autora (é uma mulher) e depois digo-te.

Trequita disse...

@Zig
não vi esse programa, só vi um em que ele esteve no programa do Herman e até me pareceu ser uma pessoa bastante acessível...
Em relação a "existir alguma coisa" lá que existe , existe nem que seja só na nossa mente!

Trequita disse...

@carlos_arinto:

Neste livro que referi também são abordadas várias hipóteses para a explicação do fenómeno de Fátima, de entre elas ovnilogia e fenómenos paranormais, entre outros...
Agradeço a tua informação acerca dessa autora, estou sempre aberta a novas hipóteses.

Mae disse...

Amiguita
Eu vou tentar saber e se o descobrir até lho mando pelo correio.Eu tambem já fui mais crente. Digamos que fui católica praticante e no mes em que o meu filho morreu estive em Fatima 8 dias antes...Agora questiono? Tenho esse direito...
Os que me recomendou, honestamente, ainda não fui á Fnac.
Andei a preparar um blog, digamos mais contido...assim mo pediram...mas não estou satisfeita, tenho outra ideia, mas sempre ajuda a "matar" tempo.
Eu cada vez me convenço mais que os milagres, não são mais que a parte psicologica a funcionar...Se está provado que a doença fisica pode começar pelo cerebro, tambem a cura, se a pessoa se convencer e convencer o seu cerebro que se vai curar, porque não?
Um abraço

http://noitestrelada.blogspot.com
se quizer dar uma olhada
um beijo

Mac Adriano disse...

Não sei quem é, que sobre mitos não leio muito. Gosto tanto de ficção como de história. Ficção disfarçada de história é que não. E não gosto do catolicismo nem de nenhuma religião monoteísta. A água com que presentearam a minha cabeça quando era pequenino diz-me menos do que a água que uso todos os dias para tomar banho, que esta sim, tem alguma utilidade.

lune disse...

Sou agnostica..mas respeito todas as religiões, quer dizer respeito mas tenho pena de certas situações e certas ignorancias, mas ao mesmo tempo admito que a religião é necessária para certas pessoas terem fé na vida, ser fraco neste mundo, nesta selva é duro, as pessoas têm a necessidade de se agarrar a algo, real ou não, amor, dinheiro, religião, sexo, vicios, tudo faz parte dum pertencer, dum afirmar, somos seres frágeis..alguns mais, outros menos..cada um escolhe o seu caminho...se não for arrastado...
Jaci

Trequita disse...

@mae

concordo perfeitamente com a sua opinião...
Tentei aceder ao seu novo blog mas não está activo ou o endereço não é o correcto, quando estiver pronto terei imenso gosto em passar por lá!
Não percebo por que terás que te conter, faz bem dizer tudo frontalmente, desabafar... continua!
o teu blog pode ser muito violento em termos psicologicos mas é uma história de vida real, é bom deixar-mos de ser tão superficiais de vez em quando

O Restaurador disse...

O livro que referes foi escrito pelo Pe. Mário de Oliveira e sinceramente (eu não acredito em Fátima) o livro é birlhante!

Trequita disse...

@ o restaurador
Obrigadérima :)

Ana Pinheiro disse...

Muito pertinente...
Eu sou católica, não praticante...acredito em mim...e no meu Deus...
Beijo terno.

sm

Arquivo do blogue