Estou envolvida num projecto de Ecucação para a Diferença de entre vários vídeos que analisei resolvi dar ênfase ao vídeo que coloquei aqui no último dia e também este que vou colocar hoje...
É triste mas todos (ou quase todos ) somos assim...
sigam o link http://www.youtube.com/watch?v=wRHHRnZRgL4&search=comercial

8 comentários:

Zig disse...

Bem, um (uma) em dez é gay ou lésbica e um (uma) em dez é frio(a), ou seja, não tem comportamento sexual nenhum. Esta é a estatística, mas onde está a fronteira? Está provado que não há homens 100% homem nem mulheres 100% mulher. Muitos homens e mulheres já tiveram experiências homossexuais, e no entanto, são heterossexuais.
Um Gay ou uma Lésbica ainda hoje têm que levar uma vida quase às escondidas, tirando nos grandes centros populacionais, aí já há mais abertura e há mais sítios de diversão alternativa.
Pessoalmente nunca fui "abordado" por um gay, e mesmo se fosse, pronto, tinha o cuidado normal para lhe explicar que não sou gay, da mesma maneira como dizia a uma mulher que não quero nada com ela.
Em tempos, num grupo de amigos que tive, estava um que era assumidamente gay, e não houve problemas nenhumas, era um grupo grande, ca. de 15 pessoas e com raparigas, íamos à discoteca e a festas como se nada fosse, quer dizer, não havia mesmo problema nenhum nem tinha que haver, éramos amigos. Agora na sociedade, já é outra coisa!

Infans disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Abade.anacleto disse...

Bom, as peúgas cor-de-rosa, o brinco, etc. Confrontados entre uma cultura heterossexual e sinais exteriores que esta cultura atribui ao outro sexo, é óbvio que as toneladas da cultura hetero nos desabam em cima.
Tenho amigos Hetero, Gay, Lésbicas, em suma, GLBT's. O posicionamento sexual depende de várias condicionantes e pouco nos deve interessar (a menos que vejamos a nossa intimidade atingida). O que conta é a pessoa! A sua sexualidade, religião, clube desportivo, são questões que dizem respeito a cada um. Agora que o vídeo demonstra uma grande quantidade de comportamentos que tantas vezes pomos em prática e nem sequer de forma propriamente consciente. São os condicionamentos, os reflexos condicionados que sempre houve e penso que sempre existirão em qualquer tipo de sociedade (as utopias não valem). O importante é não os valorizarmos mais do que eles merecem.
Abraço.

Infans disse...

Convenhamos que a citação de Freud acaba por cada vez que se trata de diferenciação vir a cair , traduziria por “ o limiar da diferença leva ao racismo, ( neste caso aos racismos), muitas diferenças , separa-os irremediavelmente”. O mais importante não é saber que estamos cientes de certas convicções… mas que os outros estejam dispostos a aceita-las , que elas sejam inteligíveis. Pressupõe que conheçam a “inteligência”. Algo que tenho muitas duvidas que seja algo de comum a nossa esfera humana. Resta-nos soletrar e somar , para que cada dia possamos reduzir o nosso vacilar (http://www.unapei.org/ ) …

Trequita disse...

@ blog do Zig e abade.anacleto

pois, infelizmente as pessoas continuam a ter muito preconceito! tenho muitos amigos e amigas homo, hetero e bissexuais nunca há problemas entre nós... esses meus amigos por vezes até gozam com o preconceito que os outros sentem... é triste mas é o mundo que temos.
Bjokitas

Trequita disse...

@c.r.
Subscrevo...
Completamente de acordo :)

Oportunamente passarei no link.

RCataluna disse...

Gostei muito do vídeo! É pena que se viva numa sociedade com tantos preconceitos idiotas.

Boa semana!

Trequita disse...

@rcataluna

boa semana :)

sm

Arquivo do blogue