Durante o reinado do Rei Manuel I de Portugal, um "cristão-novo" expressa as suas dúvidas sobre as visões milagrosas na Igreja de S. Domingos em Lisboa. Como consequência, cerca de 4000 judeus, homens, mulheres e crianças, foram massacrados pela população católica, incitados por frades dominicanos. Os judeus foram acusados entre outros "males", de deicídio e de serem a causa da profunda seca que assolava o país. A matança durou três dias.

Encontrei o seguinte desafio no PAPIRO : no dia 19 de Abril vão à Baixa de Lisboa e no Rossio acendam uma vela simbólica por cada uma das vítimas. Quatro mil velas que iluminem a memória.
Ter memória. Lembrar o massacre dos Judeus, em Lisboa, quinhentos anos depois. 1506-2006

8 comentários:

Zig disse...

Não conhecia este facto, e eu pensava sempre que Hitler era u único.
Aparentemente o cartaz está escrito em alemão, ou numa língua muito parecida, mas a letra é Altdeutsch, alemão antigo.

Trequita disse...

@Zig
Este é um panfleto anónimo, impresso na Alemanha (presumivelmente poucos meses depois do massacre de Lisboa). O “progrom” de 1506 contra os judeus de Lisboa é descrito em detalhe e as matanças contadas ao pormenor. A gravura mostra os corpos mutilados e envoltos em chamas de dois judeus portugueses, dois irmãos, os primeiros a morrer num massacre que vitimou mais de 4 mil pessoas.
Esta gravura é reproduzida a partir de uma cópia publicada pelo Hebrew Union College, Cincinnati, OH. O original, bastante raro, encontra-se na Houghton Library, Harvard University

Trequita disse...

@Zig
“Von dem Christeliche / Streyt, kürtzlich geschehe / jm. M.CCCCC.vj Jar zu Lissbona / ein haubt stat in Portugal zwischen en christen und newen chri / sten oder juden , von wegen des gecreutzigisten [sic] got.”

HatA/mãe disse...

Obrigada amiga
Tambem voltarei ao teu cantinho.
Cantinhos amigos é o que nós precisamos, reunirmo-nos da amizade, para que os bons sejam muitos, gostei do teu blog.
Beijinhos

Eu disse...

como Eu disse, a não utilização de imagens não é uma critica a quem escolhe utilizar, é uma questão de escolha :)

(obrigado pela visita e, sobretudo, pelo comentario)

Trequita disse...

@Eu
obrigada eu :)

Abade.anacleto disse...

Trequita, todos sabemos infelizmente do triste papel que a Inquisição desempenhou neste Portugal. Os Dominicanos foram talvez o melhor instrumento que a Igreja Católica poderia ter escolhido. Acho importante lembrar o que aconteceu a essas pobres 4000 almas/espíritos e o simbolismo das 4000 velas é assaz brilhante. Mas e onde ficaram os ninguém sabe quantos milhões de Judeus(e não só) assassinados há apenas cerca de 61 anos? Nem toda a produção de Fátima chegaria para acender uma vela por cada vítima do Adolfo e dos SS. Não querendo retirar qualquer valor à iniciativa, julgo-a, no entanto, tão pobre quando me lembro do Yad Vashem (Museu do Holocausto) e do Holocausto em si mesmo. Eu que leio sobre os campos de concentração e de extermínio nazis desde os meus 15 anos sinto-me ainda hoje e sempre com a alma vazia quando penso no que o Ser Humano se pode tornar ao adquirir um poder sem limites. Por favor, nunca mais deixemos que "entreguem a chave de um palheiro a um pobre",já que ele pensa imediatamente que aquela palha é toda dele.

Zig disse...

Vou tentar traduzir, mas muito livremente!!!

Aconteceu no ano 1506 uma discussão cristã em Lisboa.

Na capital de Portugal entre os cristãos e novos cristãos ou judeus por causa do Deus crucificado.

Sabes, na altura muito pouca gente escreveu como deve de ser. Cada um escrevia como ouvia as palavras, não havia gramática nem ortografia.

sm

Arquivo do blogue