Quem deu autorização ao meu subconsciente para tomar conta do meu dia-a-dia?


A vida prega-nos partidas ao ponto de nos fazer acreditar em situações humanamente impossíveis.
Tomamos tanto por garantido que, quando alguém parte ou se perde, é difícil crer na sua inexistência.

O meu subconsciente não me pede licença, age sem autorização e presenteia-me com visões sonambulas daquilo que poderia ser mas que nunca será...

O meu subconsciente dá-me cabo do juízo!

A minha sorte é que, como mulher das ciências exactas, o consciente abafa o subconsciente ao fim de uns segundos e começo a racionalizar.

10 comentários:

António Luís disse...

Entendo-te...
Às vezes, certamente por motivos diferentes, debato-me também com esse "problema"...
Resistir.

Felina disse...

Nem tanto ao mar nem tanto a terra o importante é equilibrar...

Ana Pinheiro disse...

Parece-me uma luta entre a Razão e a Emoção... ***

Abade Anacleto disse...

Bom Trequita, é inegável - pelas tuas palavras - que estás em processo de luto, lamento pela tua perda. Racionalizas como tantos fazem porque essa é uma das mais utilizadas defesas do Ego (a razão abafa a emoção). No entanto não é o teu Inconsciente que te prega partidas, mas sim o teu subconsciente (sei que isto não ajuda nada, mas cada um tem a sua formação académica e a minha é a psicologia clínica e, por isso, quis deixar este esclarecimento). O preço a pagar pela racionalização é que o processo de luto se torna mais longo, porque há apenas uma diluição do sindroma emocional negativo e não um término, podendo mesmo descambar em Luto Patológico. A dor tem a sua função, dói e "faz crescer" e abrir outras portas. Um abraço.

Trequita disse...

@Abade Anacleto

Obrigada pela correcção amigo Abade, pensei que tivesse desaparecido da blogosfera!

A Psicologia não é decididamente a minha área ;) É sempre bom aprender umas coisas,com os amigos então é sempre mais gratificante!

Tenho noção de que o processo será bastante longo, nem outra coisa seria de esperar, mas racionalizar os problemas é a minha forma de estar, sempre fui asssim... as minhas tempestades cabem em copos de água bem pequeninos.

Mais uma vez obrigada pelas tuas palavras que, como sempre, me transportam para um estado de meditação ;)

Bjokitas

Trequita disse...

@Abade Anacleto

com a dica da Psicologia CLÍNICA, denunciaste-te ;) bjokas vizinho hehehe

Abade Anacleto disse...

Eu sabia que não deveria ter falado na psicologia clínica, lololol, mas pronto! Já falei vizinha, hehehe.
Qualquer dia volto aos posts, mas não sei quando. :))

Trequita disse...

@António Luís: dizes bem... resistir!

Trequita disse...

@Felina:

O equilíbrio é uma linha muito ténue, difícil de alcançar, entretanto caminho umas vezes acima, outras abaixo da linha :)
bjokitas

Trequita disse...

@Ana Pinheiro
e que luta!
;)